A temperatura mais fria do ano traz seus encantos. Um degustador nato de vinho sabe aproveitar cada estação e tirar dela as mais perfeitas, enigmáticas e sofisticadas combinações. O inverno aguça ainda mais o paladar e faz um convite para que a ‘bebida dos deuses’ harmonize com pratos típicos da estação.

A gastronomia é riquíssima na elaboração de pratos que conseguem aquecer o corpo com tantos sabores. Alguns alimentos são de ‘comer com os olhos’ – afinal uma boa apresentação já instiga o interesse em provar o prato. Contudo, a refeição pode ficar ainda mais atrativa quando vem acompanhada de um vinho de qualidade.

Com tanta diversidade de pratos – que são mais degustados nos dias com baixas temperaturas – vem também o desafio em fazer com que a harmonização sraeja perfeita. Existem pratos que são mais fáceis para encontrar o vinho ideal e deixar o paladar aveludado, porém, os amantes da bebida podem encontrar um cenário mais desafiador quando o assunto é harmonizar vinho e sopa.

O DILEMA DAS SOPAS

Nos dias em que as baixas temperaturas são as precursoras de frio intenso, um prato de sopa é uma excelente opção para aquecer, afinal é quente, é acolhedor, é reconfortante e consegue dar um toque especial à estação. Quem não dispensa um vinho e gosta de harmonizá-lo com tudo, eis que surge uma questão: é possível harmonizar a bebida com um prato de sopa bem quentinho? Essa combinação pode dar certo? Será que existem tipos de sopas e tipos de vinho que harmonizam?

De maneira geral, para a maioria é sempre um desafio fazer com que aconteça a harmonização entre a sopa e o vinho. Essa ‘dificuldade’ acontece porque como o prato é servido com temperatura elevada e devido sua textura acaba gerando uma ‘incompatibilidade’ em relação ao rótulo do vinho. Por isso, o cuidado, para que não aconteça de vinhos mais complexos, mais delicados, mas sofisticados, acabam se perdendo entre uma colherada e outra de uma sopa extremamente quente.

PAIXÃO PELOS TINTOS

Se você é daqueles que primeiro escolhe o vinho – tem como preferência os rótulos tintos – e depois define qual será o prato principal, temos algumas dicas para a harmonização ficar ainda mais satisfatória. A primeira delas é optar por um vinho que tenha boa presença em boca, ou seja, aqueles exemplares que sejam frutados, com algum toque de frescor, com taninos macios.

Os rótulos que possuem notas frutadas, com caules e sementes, tendem a prover uma harmonização mais intensa entre a bebida e as colheradas da sopa. Nesses vinhos, os taninos vêm na casca das uvas, nas sementes e, até mesmo, na casca do carvalho da barrica. Elaborados com uma uva mais encorpada, uma possibilidade é harmonizar um Cabernet Franc.

As opções são diversas e, claro, que vale dar preferência ao seu rótulo predileto, mas sem deixar de lado estar disponível para experimentar novos exemplares e suas harmonizações. Por isso, nossa indicação fica para o Vinho Elegido Gran Reserva Cabernet Franc. Um vinho chileno premiado por vários concursos como um dos melhores cabernet franc, exclusividade na Lovino.

https://www.lovino.com.br/vinho-elegido-gran-reserva-cabernet-franc/p

Leia também: 12 vinhos para acompanhar fondue

OS BRANCO TÊM SEUS ENCANTOS

Os rótulos brancos não perdem espaço no período do inverno. Contudo, são os tintos os consumidos com mais periodicidade diante das baixas temperaturas. Os vinhos brancos nunca perdem seus encantos. Nessa estação do ano, eles podem harmonizar com perfeição com pratos como um fondue de queijo, ou um caldo branco, por exemplo.

Um bom palpite é apreciar essa refeição com um exemplar de vinho branco elaborado com a uva Chardonnay. Escolha um rótulo que não seja muito amadeirado. Uma dica é acertar na temperatura da bebida. O vinho deve ser servido em uma temperatura entre 8 e 12 graus celsius.

E nossa escolha para esse prato fica com o Vinho Santa Ema Select Terroir Reserva Chardonnay, um vinho jovem, frutado, e bem equilibrado, proporciona refrescância.

https://www.lovino.com.br/vinho-santa-ema-select-terroir-reserva-chardonnay/p

TIPICAMENTE BRASILEIRO

Para quem é louco por uma feijoada, a dica é apostar naquele famoso caldinho de feijão bem cremoso. O prato não contém todos os ingredientes de uma verdadeira feijoada, mas atende muito bem as expectativas daqueles que querem harmonizar um prato quente, que tem como base esse grão, com um excelente vinho.

O caldo cremoso de feijão pode ser picante, com alho torrado por cima – o que deixa o prato ainda mais apetitoso – possuir textura e sabor marcantemente salgado – mas não fora do ponto. As características desse caldo devem ser levadas em consideração para que a harmonização – entre o prato e a bebida – seja um sucesso.

Uma dica para que a refeição seja perfeita é escolher rótulos finos para harmonizar. Que tal degustar um prato de caldo cremoso de feijão com um Carménère? Esse exemplar é um vinho de boa acidez e sabor discreto, isso faz com que ele possa ser o par ideal não somente para esse tipo de creme, mas também para uma série de pratos que têm características picantes e salgadas.

Nossa indicação para esse caldo é o Vinho Cremaschi Furlotti Carménère, na boca apresenta-se bem equilibrado com taninos redondos, apresenta sabores a frutos vermelhos, chocolate preto, compota de ameixa e notas de especiarias.

https://www.lovino.com.br/vinho-cremaschi-furlotti-carmenere/p

CALDOS VERDES 

Os caldos verdes geralmente são cremosos e levam na receita ingredientes como batatas, couves, entre outros vegetais com caule macio ou maleável. Essas combinações deixam o caldo encorpado, por isso, a dica é apostar nos rótulos frutados, mas não aqueles com paladar marcante.

Um Quinta do Santar Sobral pode ser a combinação perfeita se o prato principal é um caldo verde. Esse exemplar tem corpo médio, além disso, possui aromas levemente frutados. É interessante estar atento ao teor alcoólico, pois quando é muito elevado tende a não harmonizar com delicadeza com o prato.

Nossa recomendação para esse caldo é o Vinho Verde Anjos de Portugal Branco, é um vinho jovem e delicado, ligeiramente adamado, de tonalidade citrina com aroma elegante e frutado. Um vinho leve e fresco.

https://www.lovino.com.br/vinho-verde-anjos-de-portugal-branco/p

MAMMA MIA!

Os apaixonados por massas não dispensam uma sopa ‘recheada’ com essas delícias. Entre as mais apreciadas estão as sopas de capeletti – aquelas pequenas almofadinhas com recheios variados sendo feitos de uma massa originária da região de Emilia-Romagna na Itália. A maioria das receitas contempla a massa como ingrediente principal atrelado com outras especiarias e ingredientes especiais.

Como harmonizar a popularmente sopa conhecida como capeletti in brodo? O prato é delicioso e vai combinar muito bem um rótulo de tinto. As escolhas que irão deixar o momento mais agradável envolvem os vinhos com elaboração das uvas Malbec ou Cabernet Sauvignon.

BOM APETITE!

Se o desejo é harmonizar sopa e vinho, faça acontecer! Arrisque e teste seus palpites, pois, às vezes, aquilo que parece ‘loucura’ pode resultar em uma emocionante experiência. O inverno – com suas baixíssimas temperaturas – faz um convite para apreciar uma refeição caprichada, na companhia de um excelente vinho e com as pessoas mais queridas. Aproveite a estação e bom apetite!