Você sabe a diferença entre vinho tinto, vinho verde e vinho branco? Dentre os amantes de vinho, há quem prefira mais o vinho tinto ao branco ou ao rosé. Essa diferença na coloração diz muito sobre as características da bebida e com que tipo de prato elas harmonizam.

Para entender um pouco melhor a diferença entre esses vinhos, é legal saber a origem deles. Pois bem! Dois tipos de uvas são matéria-prima deles: as uvas brancas, que necessariamente dão origem aos vinhos brancos, e as uvas tintas, mais versáteis, que produzem vinhos tintos, brancos e rosés.

Uma série de fatores da produção determina o sabor e a cor do vinho. Pensando nas uvas tintas, além do blend utilizado, do ponto de maturação e da espessura de sua casca, há o processo de maceração, decisivo para o tipo de vinho que será produzido. Vamos ver um a um!

Vinho tinto

Vinho tinto

Nos vinhos tintos, a maceração – ou seja, o contato da parte sólida da uva com a líquida, das cascas com o suco e a polpa – é mais longa, proporcionando a cor mais forte e marcante que conhecemos. A longa maceração permite que mais compostos corantes sejam liberados. Para esse vinho, há variações que vão do vermelho vivo, até o roxo e o marrom.

Vinho branco

Vinho branco

No vinho branco, o tempo de maceração é bem reduzido, para evitar que a cor forte seja adquirida. Apenas a parte líquida da uva tinta não possui cor. A produção pode ser feita também a partir de uvas verdes. A fermentação é feita a baixas temperaturas, também para extrair menos cor. A coloração varia do amarelo-palha ao amarelo esverdeado.

Vinho rosé

Vinho Rosé

Já o vinho rosé, que há pouco tempo vem adquirindo um maior valor entre os consumidores, pode ser feito através de três técnicas. A primeira é a maceração curta, descrita acima, mas nesse caso, o tempo é um pouco superior ao do vinho branco. Outra técnica é a da sangria, em que se drena uma pequena parte mais concentrada de líquido durante a maceração para a produção do vinho tinto, o restante é utilizado para o rosé. Por fim, a menos utilizada é a do corte, ou blend, em que se mistura o vinho branco e o tinto.

Vinho verde

Vinho Verde

Há também outro tipo bem conhecido da bebida, o vinho verde, mas, surpreendentemente, o nome não faz referência a sua cor, e sim a região em que é produzido, no noroeste de Portugal, chamada Vinhos Verdes também. Eles podem ser brancos, tintos, rosés ou espumantes.

Finalmente, quanto ao consumo, uma boa harmonização pode ser feita a depender se o vinho, além de branco, tinto ou rosé, é mais leve ou mais encorpado, e do tipo de comida, suas nuances de sabor e sua preparação. Ou seja, assuntos para os próximos posts.