Abra uma garrafa de vinho. Pode ser um Jaume Serra, afinal iremos desvendar o grupo do qual essa marcas faz parte. Sirva a sua taça e se aconchegue confortavelmente para desfrutar do seu vinho e da história que iremos te contar sobre a melhor vinícola do mundo na categoria com mais de 500 hectares: a García Carrión.

Como já pôde perceber nosso destino é a Espanha. Aproveitamos para fazer uma viagem no tempo, exatamente, para 1890. Para te localizar nessa época, aqui, o Brasil ainda era império governado por Dom Pedro II. Mas, enfim, foi naquele ano, no sudeste espanhol, mais precisamente em Jumilla, que José García-Carrión, o bisavô do atual presidente da empresa, construiu uma adega de dimensões importantes para época.

Garcia Carrion 1890

Porém, conta-se que a tradição agrícola da família Carrión remonta há vários séculos. Tanto que antes da fundação da empresa, em 1870, a família começou a vender vinho em Múrcia, Cartagena, Lorca e algumas cidades da província de Almeria. Para se ter uma ideia de como eram feitas essas vendas: eles transportaram vinho em barris de madeira. 

Mas, apesar desse transporte ainda medieval, era um momento de boas oportunidades de negócios. Foi por isso que a empresa foi fundada. Afinal, a praga da filoxera assolou vinhas da Europa e a exportação de vinho para a França se tornou um nicho importante para a García Carrión.

A partir de então, a empresa teve que enfrentar adversidades, principalmente a Guerra Civil espanhola, mas que não conseguiu atrapalhar o desenvolvimento da vinícola. Dessa forma, com a experiência e a paixão pelo cultivo de videiras passadas por gerações, as fazendas continuaram a crescer. E com a transmissão de práticas culturais, ao longo dos anos, foi possível produzir vinhos com qualidade sem igual que podem ser apreciados por admiradores da boa bebida no mundo todo.  

Atualmente, a empresa é genuinamente familiar e está sob o comando de José García-Carrión Jordán, que aprendeu o ofício com o pai e o avô e ingressou na empresa em 1968, aos 19 anos.  Em uma entrevista recente, ele afirmou que o mérito da empresa se deve aos anos de história e que a empresa segue uma filosofia baseada em conhecimento, qualidade, desenvolvimento e entusiasmo. “Com esforço, tudo é possível”, disse. 

Pois é assim que a García Carrión chega a 2020. Colhendo o fruto do trabalho de séculos. É líder absoluta nos mercados de vinhos e também de sucos e as atividades da empresa se estendem a mais de 150 países nos cinco continentes. A García Carrión possui uma infinidade de marcas próprias de diferentes origens.

Afinal, uma das características da empresa é incorporar marcas de prestígio. É o caso da Bodega Jaume Serra – localizada em Villanueva e Geltrú (Barcelona) -, com a qual inaugurou o projeto Vinos de Familia García-Carrión, com o objetivo de agrupar diferentes denominações de origem (DO). A compra incluiu o escritório de vendas em Sacramento (Califórnia), que desde 1989 vende Jaume Serra cava sob a marca Cristalino. 

O catálogo de vinhos da García Carrión ainda abrange a Bodega Viña Arnaiz (Burgos), com DO Ribera del Duero; a vinícola JGC La Mancha em Daimiel, uma instalação de mais de 120.000 metros quadrados, incluindo uma fábrica de sucos, onde produz, entre outros, vinhos com DO La Mancha. Ainda conta com a vinícola Marqués de Carrión em La Rioja. 

E, claro, não podíamos deixar de citar a vinícola Los Llanos, que possui uma das maiores cavernas da Espanha, com capacidade para 30.000 barris. A incorporação dessa vinícola envolveu a aquisição das marcas Cumbre de Gredos, Señorío de los Llanos e Pata Negra. 

Dessa maneira, em muitos altos e baixos, a história da García Carrión é contada, sempre ressaltando o esforço, o amor e a dedicação com que elaboram os vinhos. É a tradição que tomamos em cada taça. É isso que esperamos que esteja fazendo nesse momento. Se não estiver, dá uma passada na nossa loja online, Lovino, e escolha um dos rótulos que trouxemos diretamente da García Carrión!