As tradicionais Festas Juninas têm data marcada para começar: dia 12 de junho, véspera do dia de Santo Antônio. Costumam durar até 29 de junho, dia de São Pedro. Além disso, nos dias 23 e 24 é celebrado o dia de São João. A festa de cunho religioso, aqui no Brasil, se espalhou por todo o país e ganhou o jeitinho brasileiro de ser!

Cada região têm suas especiarias para essa data, mas uma coisa é certa: Festa Junina têm que ter vinho! Seja quente, quentão, tinto ou branco, o vinho é essencial para dar aquela esquentada, não é? Afinal, não existe bebida mais festiva para acompanhar o ritmo animado e a variedade de sabores que surgem às mesas no mês junino.

E é por isso que o Empório Festival declara oficialmente aberto o “Arraiá de Vinhos”. Isso mesmo, nós separamos 60 rótulos para você apreciar nessa época. Até porque, você já viu festa junina sem vinho? Nós também não!

Então, que tal conhecer mais sobre quatro vinhos da nossa seleção?!

BARRAQUINHA DOS SONHOS ABERTA

Nosso arraiá começa com a barraquinha dos sonhos! O primeiro sonho: Vinho II Sarone Vino Rosso, um vinho de estrutura levemente ácida, acabamento médio e bom custo benefício.

Dinamismo, profissionalismo e espírito de equipe fizeram da MGM Mondo del Vino uma empresa única no setor vinícola da Itália. Fundada no ano de 1991, a empresa, que produz aproximadamente 25 milhões de garrafas por ano, exporta seus produtos de altíssima qualidade para mais de 40 países em todo o mundo.

Não à toa está entre as 15 maiores exportadoras de vinho italiano. A vinícola é responsável por apresentar ao público rótulos capazes de mostrar as melhores características do espírito italiano, ou seja: qualidade, criatividade e versatilidade.

O rótulo II Sarone Rosso simplifica todo esse conceito em uma garrafa. De cor vermelho rubi, possui aromas de ameixas e amoras, com notas de canela e cacau. É frutado, redondo e equilibrado, de acidez moderada e com taninos médios e macios. Harmoniza com carnes, massas de molho vermelho, pizza e claro, espetinhos de festa junina!

A MAÇÃ É DE AMOR, MAS O VINHO É NOSSA PAIXÃO

Sabe aquele vinho que leva consigo todo um romantismo?! É um vinho com história, muito amor, e gostinho de quero mais!

A história do grupo Faustino não é a história de uma empresa, é a história de uma família. Uma família que, de geração em geração, dedicou sua vida à vinhos, vinhedos e bodegas.
São quatro gerações e 150 anos de experiência na produção e envelhecimento de vinhos de alta qualidade. Uma tradição que se adaptou às mudanças de época, acompanhando as inovações e, assim como o vinho, a cada ano se tornando ainda melhor em qualidade.

Os vinhedos de Ribera del Duero tomam forma no mais recente e marcante projeto do Grupo Faustino, a Bodega Portia. Em um prédio espetacular, uma exibição arquitetônica contemporânea, ao mesmo tempo funcional e simbólica. Portia, a sétima bodega do grupo, reflete como nenhuma outra adega a particularidade que diferencia Faustino: a vibrante inovação que está presente em todas as suas atividade, além do amor por oferecer o melhor.

A garrafa de Portia Roble abriga um vinho limpo, brilhante, com uma cor granada intensa e brilhos púrpura. Intenso no nariz. Marcado por aromas torrados, o resultado do envelhecimento do barril. Fruta fresca. Tanino estruturado e redondo. Balanceado, acabamento médio em notas de frutas.

Harmoniza muito bem com qualquer tipo de carne e batatas grelhadas. Peixe e marisco à la marinera. Meia-cura de queijos e sobremesas com bagas. Bom com arroz e todos os tipos de massas. Muito bom com feijões e purês em geral. Mas na festa de são João, pode acompanhar também um cachorro-quente e um pacote de pinhão!

OLHA QUE ISSO AQUI TÁ MUITO BOM, ISSO AQUI TÁ BOM DEMAIS

Campillo é a segunda bodega do Grupo Faustino. Nasceu do sonho de criar uma vinícola cercada por vinhedos. Construída em Laguardia, é um do vilarejos mais lindos de La Rioja Alavesa. Ao estilo dos castelos Bordeaux, a bodega é um marco arquitetônico cercado por 50 hectares das melhores videiras.

Basta subir sua escadaria para entender o sentimento que levou Julio Faustino Martínez à compartilha em Campillo suas duas grande paixões: vinho e arquitetura. Sua beleza arquitetônica combina as melhores técnicas para produção e envelhecimento do vinho.

Vinho tinto é sempre a melhor opção para dar aquela esquentada na festa! Por isso, nossa quarta indicação é o Vinho Campillo Crianza, ele é limpo, brilhante atraente e evolui para rubi. Notas de frutas vermelhas como morango, madeira e um fundo torrado. Tem um final longo e macio.

É fácil emparelhar com qualquer tipo de carne. Cogumelos grelhados, alguns peixes com muito sabor ou gorduras, como atum ou bacalhau. Queijo emmental o gruyere.

XII, ESSE NÃO DÁ PRA COZINHAR NÃO, SÔ!

Opa! Têm vinho tão bão aí, que não dá pra fazer quentão não!

A partir da personalidade acolhedora de sua terra, Rioja Alavesa, e do compromisso com o meio ambiente, Marqués de Vitoria, também do Grupo Faustino, percorre o caminho da modernidade. A adega e seus vinhos combinam perfeitamente a essência e as raízes desta terra com a capacidade de inovar. Localizada em Oyón, Rioja Alavesa, possui uma área construída de 8.700 metros quadrados, onde 960.00 garrafas descansam.

Marqués de Vitoria aposta, desde 1995, na criação de vinhos modernos, mais frutados e com novos barris que permitem uma maior diferenciação no sabor das uvas. A excelência com o cuidado da vinha e a inovação nos processos de elaboração com a aplicação das técnicas mais avançadas são os dois pilares das bodegas. E é por isso que o Vinho Marqués de Vitoria Reserva está em nossa lista!
Tinto de Reserva 100% Tempranillo o Limpo, brilhante, cor cereja atraente, com evolução granada. No nariz é intenso e quente. Possui notas de baunilha e picantes. Na boca é elegante, fresco e equilibrado. É consagrado mundialmente por prêmios como Medalha Gran Ouro, Berliner Wein Trophy 2017; Bacchus de Ouro, Prêmios Bacchus 2016, España; e Medalha de Ouro, Mundus Vini 2016, Alemania.

AAH, MAS TAMBÉM QUERO UM QUENTÃO ZÉ

Para fazer o vinho quente não é necessário investir num tinto elaborado e nem em uma uva específica. Isso porque, quando aquecido a uma determinada temperatura, o álcool evapora e leva consigo as principais qualidades do vinho.

A única recomendação a ser feita é que o vinho precisa ter a classificação “vinho fino tinto seco”. O vinho seco obrigatoriamente foi 100% fermentado e feito com uvas viníferas. Já o vinho suave, teve sua fermentação interrompida e adição de açúcar.

Algumas dicas de vinhos secos com bom custo benefício para fazer essa bebida:

Leia também: Tudo Sobre o Vinho Quente

E é isso meninada, agora é só aproveitar as festanças e aquecer o esqueleto com os vinhos do Empório Festval!