De médico e enólogo todo mundo tem um pouco, não é mesmo? Por isso hoje resolvemos falar sobre os mais populares mitos e verdades acerca da bebida, principalmente sobre as safras. Vamos começar?

O que é safra de vinho?

A safra de vinho refere-se ao ano em que as uvas foram colhidas e que o vinho foi produzido. Nesse período, alguns fatores determinam a qualidade da bebida, por exemplo, as variações climáticas. Quando um ano é muito quente, os aromas podem ficar mais maduros. Já em anos frescos, a bebida fica mais saborosa.

Saiba quais são os principais mitos e verdades sobre as safras de vinho

O primeiro grande mito é que quanto mais velho melhor o vinho. Não é bem assim, viu? A maior parte dos rótulos possui durabilidade curta e não há muita diferença no sabor se fica por mais tempo armazenada. Somente alguns poucos rótulos precisam envelhecer para oferecer um melhor sabor – e esses vinhos são chamados de “vinhos de guarda”.

O segundo mito mais popular tem a ver com as garrafas. Dizem que as garrafas de base profunda garantem vinhos mais saborosos, mas isso também não é verdade. O côncavo do recipiente não altera a qualidade da bebida. Ou seja, não julgue um vinho pela garrafa!

Depois dos dois primeiros mitos, temos agora uma verdade: os vinhos precisam ser guardados em ambiente escuro e com temperatura controlada. Por isso as adegas climatizadas estão se tornando cada vez mais comuns nas casas. Nada de calor e luminosidade na hora de guardar os vinhos. O ideal é que os rótulos repousem em temperatura próxima a 15°C.

Sobre o vinho rosé, o que se conta por aí é que ele é resultado da mistura do vinho tinto com o vinho branco, e isso pode ser feito, na sua minoria, embora a grande maioria dos rótulos roses são produzidos de forma diferente, sendo resultado apenas da fermentação de uvas tintas com pouco contato com a casca – já que é a casca que garante a cor.

Por fim, deve cair por terra a ideia de que um vinho feito de várias uvas não é bom. A qualidade da bebida não tem relação com a quantidade de uvas usadas. Há muitos outros fatores determinantes, por exemplo, as particularidades da videira, da colheita, das técnicas de vinificação e até da higiene de todo o processo.

Nossas recomendações de vinhos das melhores safras

Começamos nossa seleção com o Vinho Balduzzi Viejo Encachao Grand Reserva Carignan, uma opção chilena, safra 2018. No visual de coloração rubi profunda. Nos aromas temos framboesa, cereja, notas tostadas, tabaco, pimenta do reino e alcaçuz. Encorpado, possui taninos firmes e bom frescor, e oferece final de boca persistente. A versatilidade é outro diferencial, acompanhando bem receitas de todos os tipos de carnes, principalmente as grelhadas, além de queijos fortes e cremosos.

Para quem adora um vinho mais aveludado, temos o chileno Vinho Santa Ema Barrel Reserve 60/40, safra 2019. Feito do clássico blend usado em Bordeaux das uvas Cabernet Sauvignon e Merlot, é um de nossos rótulos mais vendidos. Possui coloração rubi intensa com reflexos violáceos, e os aromas de ameixa, cereja, pimenta preta e baunilha deixam tudo ainda mais especial. Oferece sabor concentrado e elegante, com taninos redondos, frescor, final aveludado e com boa persistência. Abra-o para acompanhar carnes vermelhas, brancas, massas, aves de caça e queijos.

E que tal o Vinho R De Romaneira Douro? É um português safra 2017, rico em aromas de frutas, ervas e cacau, elaborado a partir das uvas, Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Syrah e Tinto Cão. De sabor intenso, possui taninos macios e ainda agrada aos olhos com sua cor vermelho vivo. Versátil, você pode combiná-lo com receitas de carnes, massas, peixes suculentos e aves.

Por fim, temos o Vinho Faustino I Gran Reserva Rioja, um rótulo espanhol, safra 2009, eleito o melhor do ano pela conceituada revista inglesa Decanter. Elaborado a partir das uvas Tempranillo, Graciano e Mazuelo, possui coloração vermelho rubi com reflexos granada. É um vinho muito complexo, nos aroma de frutas silvestres, especiarias, grafite, tabaco e defumados com presença discreta de notas de café proveniente dos 26 meses de amadurecimento em barricas de carvalho e mais 24 meses de repouso em garrafa. Ideal com cordeiro, carnes de caça, ragu, e queijos curados.

Viu só? Agora você pode abrir seu rótulo preferido e conversar com segurança sobre safra de vinho. Até a próxima!