Suave e macio, assim pode ser descrita a sensação de saborear o vinho Merlot. Ao servir a taça já é possível sentir o aroma que evidencia ser um vinho com características distintas, pois varia o local e o tempo de cultivo da uva. Ao tocar os lábios, vagarosamente, é possível sentir que o vinho Merlot deixa aquela sensação de paladar aveludado e pode ser apreciado sozinho ou combinado com diversos pratos. 

Muito antes desse delicioso vinho fazer parte de nossos jantares, nossas rodas de conversas, nossos momentos de degustação prazerosa, a uva Merlot ‘seduz’ os produtores, se adapta a natureza, se entrega no processo de produção e se ‘envolve’ com seu barril, pois, cada etapa carrega peculiaridades.

Entre as principais características, a uva Merlot tem boa adaptabilidade em diversos tipos de solos e climas. É possível ver deslumbrantes parreirais em terrenos rochosos, áridos e argilosos. Já em relação às condições climáticas, esse tipo de uva pode aguentar temperaturas quentes, frias e úmidas. Dessa forma, ela é plantada em diversos países. 

O período de maturação da uva merlot interfere no sabor do vinho. Na colheita tardia acontece a conversão dos açúcares e a maturação fenólica é mais concentrada. Entretanto, esse período de colheita tende a interferir na acidez e salientar, excessivamente, os aromas frutados, o que pode deixar o vinho com menos frescor. Para saber como a maturação e a safra podem interferir no processo da bebida confira o artigo ‘Safra de vinho: entenda quais são os mitos e as verdades’ .

A DESCENDÊNCIA DA MERLOT

Estudiosos apontam que a Merlot é ‘meia irmã’ da Cabernet Sauvignon. Esse ‘parentesco’ faz sentido quando a mistura dessas uvas resulta em bebidas marcantes, em blends famosos pelo mundo, por exemplo, os vinhos Bordeaux. 

Enquanto a Merlot possui casca mais fina, menos taninos, bago maior e cor menos escura, um negro azulado, a Cabernet Sauvignon é a ‘meia irmã’ com mais taninos, mais grossa e cor mais escura. A combinação de ambas acontece de maneira suave para a alegria daqueles que apreciam esses arranjos que não são musicais, mas fazem o paladar bailar com tantas sensações.

Separadas, ao comparar os vinhos – em relação àquele produzido com a uva Cabernet Sauvignon – a bebida que utiliza a Merlot é definida como mais macia. Essa indicação de sabor ocorre devido a Merlot ter menos acidez e taninos, ou seja, é aquele vinho que provoca não aquela sensação de ‘amarrar a boca’, é uma bebida fácil de ser apreciada.

Com toda essa ‘genética’, a Merlot é uma uva usada na produção de vinhos de corte – aqueles que tem em sua composição a mistura de uvas – ou no processo de vinhos varietais – aqueles que contém apenas uma variedade de uva. Para saber mais sobre esse assunto leia o artigo ‘Vinho varietal x Vinho de corte: qual escolher?’

Essa multivalência contribuiu para que produtores das mais variadas regiões do planeta apostem no cultivo da Merlot.

‘ASAS’ NOS PARREIRAIS

Os parreirais são tão encantadores que a história retrata que nem mesmo os pássaros podiam resistir a deliciosa uva Merlot. Estudiosos relatam que a origem do nome dessa variedade de uva é proveniente de uma pequena ave escura, um tipo de pássaro comum na Europa. Eles se deliciavam com a Merlot, especialmente, no período em que elas já tinham passado o ponto de maturação, ou seja, eram mais adocicadas para o bico dos pequenos.

A contextualização do nome Merlot seria um diminutivo de ‘merle’ – palavra que no idioma francês significa ‘pequeno pássaro preto’. Essa ave teria a mesma coloração das uvas quando estavam maduras.

A cor, que carrega a história do nome dessa uva, pode sofrer alterações que variam de acordo com o tempo. Os vinhos da Merlot mais jovens tendem a apresentar cores mais próximas aos tons de roxo, ou seja, são mais violáceas. Além disso, é possível encontrar tons rubi escuro quando não passam pelo envelhecimento. As tonalidades da bebida também encantam, pois envolvem período de colheita, produção e quanto tempo uma garrafa demora para ser aberta.

HARMONIZAÇÃO PREFERIDA

As características do vinho e do prato são primordiais para definir a harmonização perfeita. Teoricamente, os vinhos considerados mais leves irão harmonizar com comidas mais leves, enquanto os vinhos mais estruturados combinam com culinária mais elaborada e iguarias mais sofisticadas. Mas isso também varia da peculiaridade de cada paladar. 

Se o prato principal for pizza ou massa, vai combinar muito bem com um vinho Merlot, pois essa variedade de uva harmoniza com pratos da culinária italiana. Pode ficar ainda melhor se o prato tiver molho atomatado, além de orégano e manjericão. O queijo pode ser um dos ingredientes do prato principal ou ele ser o único para acompanhar o vinho. Com queijos a escolha também é certeira. O vinho Merlot vai bem com os tipos mais estruturados, aqueles de casca dura, além dos cremosos.

Com pescados, aves e carnes vermelhas, o vinho Merlot vai acompanhar com versatilidade. Para os peixes, a dica é escolher as opções de pratos grelhados; para as aves uma boa ideia é optar por aquelas que vão ao forno – peru ou pato deixam a combinação de sabores ainda mais elaborada. Já em relação às carnes vermelhas, que tal uma receita na caçarola? Ou um hambúrguer gourmet?

E com churrasco ou arroz carreteiro, será que combina? Pratos da culinária típica brasileira também integram a lista de harmonização com vinho da uva Merlot. A bebida tem versatilidade para combinar com a comida tradicional do Sul do país e com pratos típicos do sertão nordestino.

Ao lembrar da sensação de degustar um vinho Merlot, fica difícil decidir qual será o prato principal, porque o vinho já está reservado, escolhido, pronto para abrir a rolha e ‘no ponto’ para ser colecionado como mais um momento bem vivido. Mais um jantar romântico, mais uma conversa entre amigos, mais um momento relax, mais uma lembrança para ser cultivada.

Que tal escolher um vinho Merlot para colecionar mais um momento?!

Nesta semana vamos trazer alguns rótulos de indicação da Lovino, com valores promocionais, confira:


VINHO CLOS VIEUX TAILLEFER POMEROL – Merlot médio encorpado, surpreendente e complexo, fresco e final longo. Excelente para compor pratos mais incrementados.

VINHO CHÂTEAU DE RICAUD BORDEAUX SUPÉRIEUR – Um blend de 12 meses em barris de carvalho francês. Altamente perfumado e sabor frutado. Harmoniza com carne de gado. Ótima opção em custo benefício.

VINHO CHÂTEAU DE L’ABBAYE HAUT- MÉDOC – Francês, com aromas frutados e amadeirados, acidez média, bem encorpado com taninos muito presentes e persistentes.

VINHO SANTA EMA GRAN RESERVA MERLOT – Número 1 da Lovino! Nosso queridinho Santa Ema Merlot GR é um vinho versátil, ideal para acompanhar refeições como massas, carnes, queijos ou degustá-lo sozinho mesmo. Se você ainda não conhece, aproveite essa dica!

Cheers!